• Av. João Olímpio de Oliveira, 1561 - Vila Asem, Itapetininga - SP
  • (15) 3376-9930
  • Email: mat.itp@ifsp.edu.br

Matemática. Descoberta ou uma invenção?

Por: Caio Dalla Vechia em 28 Mai 2021

A provocação do título encontra afinidade nas mentes que gostam de filosofar e não poderia ser diferente, a filosofia é mãe de todas as outras ciências inclusive a matemática. Será que ao longo do curso natural da nossa civilização tropeçamos na matemática e a descobrimos na natureza criando apenas uma linguagem feita de símbolos e transcrições de regras em que apenas equacionamos como se estivéssemos lendo o que o universo “grita” para nós? Ou então de modo contrário, podemos supor que a matemática é uma invenção humana, afinal, matematicamente podemos criar modelos de objetos inexistentes na natureza, ao menos na nossa natureza, como o hipercubo que é uma espécie de cubo em 4 dimensões espaciais, que por motivos óbvios não podemos reproduzir com exatidão, ou em outra situação podemos calcular com certa afirmação os eventos que ocorrem em “buraco branco” uma espécie antagônica do conhecido buraco negro, mas nenhum buraco branco foi descoberto, e talvez nem seja pelo simples fato de não existirem!

Mas e o que dizem os especialistas? Eles dizem que sim ... e alguns que não e há quem ache que ela é parte lapidada da natureza e parte inventada por nossos potentes cérebros.

Nesse recorte de uma matéria do site mentalidades matemáticas o autor trás algumas citações e explicações de matemáticos acerca do assunto.

A youtuber Julia Jaccoud, a Matemaníaca, resolveu fazer a pergunta a especialistas no assunto. Para o ganhador da medalha Fields em 2014, Artur Avila a resposta é simples: “foi descoberta”. Opinião divergente da de John Bush, professor do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachussets). “Quando você olha uma flor, descobre matemática. Mas isso é a natureza, e nós criamos a linguagem matemática.”

Marcelo Viana, diretor-geral do IMPA (Instituto de Matemática Pura e Aplicada), é categórico: foi descoberta. “São como as estátuas inacabadas de Michelangelo, em que o artista parece estar arrancando-as da pedra, a matemática é isso, ela é arrancada de onde ela está, já está lá.” Para o senegalês Khadim War, parte foi descoberta, parte inventada.”

E o que diz a outra parte?

Uma declaração famosa de Leopold Kronecker, professor de matemática do século 19 na Alemanha, se encaixa nessa linha: ‘Deus criou os números naturais. Todo o restante é obra do homem.

Essa inquietude filosófica é saudável e traz pluralidade a uma ciência tão cheia de regras. Um certo entusiasmo preenche aqueles que acreditam na matemática como uma leitura da natureza, pois se a matemática é a representação do universo natural então qualquer modelo que possua coerência com essa ciência poderá existir, inclusive o buraco branco e a quarta dimensão, na verdade há modelos que descrevem até 26 dimensões espaciais, mas isso eu deixo para os físicos. No entanto os que acreditam na matemática como uma invenção se aninam em criar modelos para aplicação computacional, na engenharia etc.

Naturalmente não há uma resposta para essa pergunta que é recheada de ironia para uma das ciências mais exatas, regradas e concretas como a matemática. o nascimento dela pode ter se originado junto à criação do universo, ou na sinapse cerebral do primeiro homo sapiens que riscou um osso de um animal abatido para comparar com o seu rebanho de criação, criando assim o princípio da contagem.